Imperdível: coleção de fotos do MNBA

O Museu Nacional de Belas Artes de Buenos Aires inaugura dia 12 deste mês a exposição “Colección fotográfica del MNBA y colección Rabobank”, em homenagem à Sara Facio, criadora da coleção de fotografias do espaço.

O acervo teve inicio em 1995 e tem hoje mais de 800 imagens de obras de autores argentinos e estrangeiros desde o século XIX até o presente momento. Nesta homenagem podem ser vista 50 delas.

Ao valioso acervo do MNBA se incorpora, nesta ocasião, a Coleção Rabobank de Fotografia Argentina, instituição bancária que, ao completar 20 anos, doa ao museu  todo o seu acervo de fotos.

Avenida de Maio 1950. Werner Schumacher

Este material, curado por Marjan Groothuis e Facundo de Zuviría, reúne trabalho de mestres consagrados e jovens artistas.

Foi criado há cerca de três anos e totaliza 200 obras de 57 autores, entre eles Horacio Coppola, Juan Di Sandro, Sara Facio, Alberto Goldenstein, Alejandro Kuropatwa, Adriana Lestido, Marcos López, Sameer Makarius, Hans Mann, Grete Stern, Sebastián Szyd, Juan Travnik, Martín Weber, Dani Yako e Marcos Zimmermann, entre outros.

Dá para espiar todas as fotos AQUI. Depois é só sair voando para lá!

A mostra vai de 12 de setembro a 10 de outubro, de 12h às 20h30. Sábado e domingo o museu abre mais cedo, às 9h30. Entrada livre. Avenida del Libertador 1473.

Dica para Brasília: Portinari bordado!

O fio da meada , o avesso e o círculo do bastidor

Sempre que faco uma lista das coisas mais lindas que já vi  – ou fiz – na vida, me vem à mente os bordados do grupo Matizes Dumont e as tardes que passei bordando  com estas mulheres, entre linhas e cores. Recém tinha me separado, e usar os domingos para bordar e pensar na vida foi muito sanador.

O grupo foi criado inicialmente por seis artistas de uma mesma família de Pirapora, Minas Gerais: a mãe Antônia Zulma Diniz Dumont e cinco filhos: Ângela, Marilu, Martha, Sávia e Demóstenes. Depois, o círculo em sua vitalidade ampliou-se com a participação da terceira geração (Luana, Tainah, Maria Helena, Paula e Luíza).

Elas bordam a vida, o país e, principalmente, histórias. 

Começaram a ilustrar livros em 1988 e, de lá para cá, já somaram mais de 20 obras, que incluem autores como Jorge Amado, Ziraldo, Manoel de Barros, Thiago de Mello, Rubem Alves, Carlos Brandão, Tetê Catalão,

A última delas: bordados a partir dos estudos de Candido Portinari para os painéis Guerra e Paz. Estarão em exposição no Museu Nacional do Conjunto Cultural da  República a partir de 28 de junho.

Im-per-dí-vel!